RSS

Arquivo da categoria: corpo de cristo

Parceiro de DEUS

Parceiro de DEUS
Amós 3:3Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?
João 1:11-12 “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, l  a saber, aos que creem no seu nome; m
O texto de Amós, trata da miséria que o povo estava vivendo fora da vontade e do propósito de DEUS. Eles faziam seus sacrifícios, davam seus dízimos e suas ofertas mas desobedeciam as leis e ordenanças. Porém queriam que todas as vezes que clamassem fossem ouvidos. Como eles poderiam ser ouvidos não havia acordo entre eles e seu DEUS?
Seus sacrifícios, ofertas e dízimos não eram uma prova de seu amor, mas sim de uma prática hipócrita onde tentavam mostrar um estilo de vida que não condizia com a realidade que eles viviam. Uma hora no templo, outra fazendo exatamente o contrário da vontade de DEUS. Suas ofertas e dízimos eram uma forma de justificar suas culpas e pecados substituindo o arrependimento por obras infrutíferas.
1.      Existe um acordo, um contrato entre DEUS e o homem.
a.    Neste contrato tem clausulas bem específicas, quanto o que cada um deve fazer. A parte de DEUS e da parte do homem.
b.    A parte de DEUS – como ELE é mais antigo, ele escreveu algumas leis bem específicas de proteção; e como consequência da obediência a este contrato, o resultado é bênçãos e prosperidade da pessoa bem como de seus filhos.
c.    A parte do homem – ele somente tem que compreender bem o contrato, e então fazer de acordo como está escrito. É um acordo eterno entre o homem e DEUS.
d.    A quebra deste contrato resulta em desgraça. A observação deste contrato em bênção.
2.      Como podem andar os dois juntos – o homem e DEUS?
a.     DEUS conhece o homem e o respeita.
b.    O homem precisa conhecer a DEUS e cumprir sua parte neste acordo. Dessa forma eles poderão andar juntos. Existem dois pontos básicos neste contrato: Amar a DEUS sobre as coisas e ao próximo como a si mesmo.
3.      O que DEUS está querendo fazer neste texto é uma parceria.
a.      Por que será que DEUS precisa de mim para esta parceria? Você pergunta!
b.    DEUS só pode fazer algo na terra através do homem. E talvez você e eu sejamos as pessoas que o SENHOR quer usar.
4.      Não poderemos andar juntos se não houver acordo.
a.    DEUS nunca poderá anda junto com o homem se o homem não andar de acordo com a Sua palavra.
b.    O homem tem que concordar com a palavra de DEUS.
c.    O homem tem que ter como parceiro o próprio DEUS.
5.      Em que DEUS quer ser o meu parceiro?
a.     Na sua família; no seu emprego; na sua empresa; em seus negócios; na sua escola; em suas escolhas; O Senhor quer ter a primazia em todos os grandes momentos de sua vida.
Aplicação
1.     Deus tem buscado parceiros para uma sociedade de prosperidade.
2.    Deus tem buscado homens que saibam trabalhar em parceria com Ele.
3.     Será que ele pode encontrar em você esse parceiro?
4.     Será que você é a pessoa certa para essa parceria? Eu acredito que sim! Mas você está disposto a cumprir sua parte neste acordo? Eu também acredito que sim!
5.     Então vá em frente e encare novos desafios na fé.
—————————
Ronildo da Cruz Ribeiro
IDPB Monte Horebe
Manaus 09 de outubro de 2012
terça-feira
————————
l l 1.12 João distingue claramente entre Jesus Cristo, o unigênito Filho de Deus (v. 18), e aqueles que chegam a ser filhos de Deus por crerem em Jesus Cristo.

m m 1.12 Crêem no seu nome: João ressalta fortemente o valor de crer em Jesus Cristo. Crer é a resposta do homem com a mente, o coração, com toda a vida, à ação salvadora de Deus por meio de Jesus Cristo. Quando uma pessoa “crê”, recebe a vida eterna (cf. Jo 3.14-16; 6.40; 11.25-26; 20.31).
Anúncios
 

Fé – Aprenda a viver pela palavra de JESUS

Fé – Aprenda a viver pela palavra de JESUS

16º dia de Jejum

João 8:31 “Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos”.

Aprenda a viver e a caminhar com Jesus. Tenha um encontro com o Espírito Santo. Medite na palavra de DEUS e sempre ande com homens e mulheres de fé.

1.       DEUS nos deu a sua palavra – porque somente através dela pela fé podemos vencer o mundo. Foi através dela que Jesus Cristo venceu o mundo. “Está escrito”.

1 João 5:4-5Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?”

2.       DEUS nos deu o Espírito Santo o consolador para nos instruir, nos revelar, nos santificar.

João 16:13Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir”.

3.       DEUS nos deu irmãos para que pudéssemos viver em família.

Atos 2:42-4742 E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão j  e nas orações.43 Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos.44 Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.45 Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade.46 Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão l  de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração,47 louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.”

4.       A fé nasce e cresce pela palavra de JESUS.

Romanos 10:17 “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”.  

1 João 5:4-5Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?”

5.       É o Espírito Santo que ajuda em nossas fraquezas.

Se quisermos crescer em nossa fé, necessitamos desse companheiro, o Espírito Santo.

Romanos 8:26Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.”

Aplicação

1.       Busque a palavra de DEUS, leia ela todos os dias, medite, faça dela o seu livro de cabeceira.

2.       Busque o Espírito Santo e seu batismo, busque no Espírito Santo a clareza da Palavra de Deus. Faça do Espírito Santo seu conselheiro, seu amigo mais íntimo.

3.       Esteja sempre que puder reunido com os irmãos. Compartilhe experiência, fé, alegria, tristezas, alimente-se com eles. Faça uma classe de discipulado. Tenha uma célula. Reúna com as pessoas.

4.       A fé nasce pelo ouvir da palavra de CRISTO. Tire tempo pra ouvir a palavra de Jesus, vá aos cultos em sua igreja, assista grandes pregadores.

5.       Lembre-se que é o Espírito Santo quem sempre vai ajudá-lo em suas dificuldades. Ele irá usar pessoas cheias Dele para trazer o alento através da palavra de Cristo, ou alguma ajuda física mesmo.

————————————————

Ronildo da Cruz Ribeiro
IDPB Monte Horebe
Manaus, 17 de setembro de 2012
16º dia de Jejum


j j 2.42 Partir do pão: De acordo com o contexto, trata-se de um ato com significado religioso (2.46, n.); também pode significar comer juntos.
l l 2.46 Partiam pão: Expressão derivada do costume judaico de começar a refeição com uma bênção, depois da qual se parte cerimonialmente o pão. A frase chegou a ser aplicada de maneira particular à celebração da Ceia do Senhor ou Santa Ceia (At 2.42; 20.7,11; 27.35; 1Co 10.16). Além de participarem das orações no templo, os cristãos se reuniam nas casas, onde os seus “ágapes” ou refeições em comum incluíam a celebração da Ceia do Senhor (cf. 1Co 11.22).
m m 10.17 Cristo: Outros manuscritos dizem: Deus.
b b 8.26 Cf. v. 15; Gl 4.6. Alguns vêem aqui uma alusão à oração em línguas (1Co 14.14-19).
 

Fé – Deixe que JESUS leve sua carga

Fé – Deixe que JESUS leve sua carga
15º dia de Jejum

Confie ao DEUS do céu, que mora em seu coração as dificuldades do seu dia a dia!

 Vivemos num mundo cheio de ansiedade e frustrações. Mas tire de seus ombros o fardo pesado e confie a DEUS o pensamento negativo e o temor. Ponha os seus olhos em DEUS.

1.       Troque seu fardo com JESUS.

Mateus 11:28-30 “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. t Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve. u

A carga do seu pecado é pesada? A carga de sua vida é pesada? O jugo e acusações do inimigo são pesados? A carga das doenças é pesada? A carga do ganhar o pão de cada dia é pesada? A carga da vida é tristeza? Jesus diz: “Não se preocupe eu troco com você. Eu levarei esta carga para você! Eu já levei sobre mim todas as cargas lá naquela cruz, você deve somente confiar, obedecer e descansar à sombra de minhas asas”. Acredito que esse é um convite maravilhoso e que deve ser atendido.

2.       O SENHOR é o meu pastor.

Quando as dificuldades da vida lhe apertar por todos os lados, lembre-se! O Senhor é o meu pastor.

Salmos 91:5-7 “Não te assustarás do terror noturno, e nem da seta que voa de dia, nem da peste que se propaga nas trevas, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido”.

Pra que ter medo quando eu posso confiar? Pra que ter medo quando eu posso acreditar que o próprio DEUS é o meu socorro? Porque ter medo de dormir de noite ou de dia se o SENHOR está comigo? Porque temer pragas rogadas, ou a morte, mesmo que caiam todos ao meu redor se o meu DEUS está do meu lado?

Sabe meu querido irmão, irmã – ELE, O SENHOR É O TEU PASTOR!

3.       Deixe a palavra de DEUS colocar a fé em seu coração.

Hebreus 4:12 “Porque a palavra de Deus h  é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração”.

A palavra de DEUS age em todos os tempos e épocas, em todas as situações e circunstâncias. Use-a, ela é um manual inigualável de instrução. Deixe a palavra de DEUS formar em você o caráter de DEUS. Deixe a fé de DEUS motivar a sua fé. Motivação sem fé logo acaba, mas quando temos a fé que motiva, ela nuca acaba, pois ela nasce no trono de DEUS e flui até nós como água, saciando nossa sede de DEUS e de vida.

Aplicação:

1.       Deixe JESUS levar a sua carga, seu fardo.
2.       Deixe JESUS ser o seu pastor, e lhe guiar pelos caminhos certos da vida.
3.       Deixe a palavra de seu pastor JESUS, produzir a fé que gera a motivação em seu coração.
4.       Ande com Jesus, deixe ele levar a sua carga.

————————————————-

Ronildo da Cruz Ribeiro
IDPB Monte Horebe
Manaus 16 de setembro de 2012
15º dia de Jejum


t t 11.28 Jo 6.37.
u u 11.28-30 Cf. Is 30.15; Jr 6.16; 1Jo 5.3. Jugo: No sentido figurado, imagem de sujeição e carga pesada. Jesus oferece descanso aos cansados e sobrecarregados e usa esta imagem para se referir ao compromisso e lealdade que exige e oferece aos seus discípulos. Cf. Mt 23.2-4; Lc 11.46.
e e 91.5 Terror noturno: Como os descritos em Jó 7.13-14; Jr 49.9; Ob 5.
h h 4.12 Palavra de Deus: Expressão que na Bíblia tem diversos significados e inclui toda a revelação divina e o poder criador e salvador de Deus; cf. Is 49.2; Jo 1.1-18; Ef 6.17; Hb 1.3; 1Pe 1.23-25.
 

Que tipo de palavra me alimenta?

Que tipo de palavra me alimenta?
Mateus 4
“3 Chegando, então, o tentador, disse-lhe: Se tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães. 4 Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.”
É muito comum hoje em dia desistirmos de muitas coisas que são essenciais para nós e para muitas pessoas. Só por que contraria nossas idéias, nossas expectativas e nosso ponto de vista, que, aliás, na maioria das vezes não tem embasamento algum.
Fazemos isso por que nos alimentamos das coisas erradas e não do pão do céu que é a palavra de DEUS. A palavra de DEUS expressa à vontade de DEUS, e quando desconhecemos essa vontade, sofremos!
1.  Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus (vs4).
Acredito que quando o diabo fez a tentação, ele sabia quem era JESUS, e qual seria sua missão. Por isso ele se aproximou de JESUS na hora de maior fraqueza. Após o jejum de quarentas dias JESUS devia estar se sentindo o mais espiritual dos homens. E é nesse momento de sentimento que provem da fragilidade do homem, que o diabo ataca. Testando sua verdadeira espiritualidade, de onde ela vem. Da vontade humana de se sentir forte e mais próximo de DEUS, de agradar alguém, ou da motivação espiritual real que provem da vontade de DEUS.
É muito comum, quando jejuamos nos sentirmos assim, super homens, ou super mulheres, imbatíveis, inatingíveis, espirituais e intocáveis. E é exatamente nesse momento que o diabo (tentador) aparece, para testar a nossa fé e a nossa motivação. Lembre-se que o maior aliado do diabo é a carne. Por isso Jesus disse que a carne é fraca e o espírito é forte, logo o espírito sempre vai vencer a carne! Mas geralmente quem vence é a carne com seus prazeres passageiros e mortais.
Com Jesus, a motivação era exatamente do espírito, Mateus 4.1 diz que ELE foi levado ao deserto pelo Espírito Santo para ser tentado, testado, para daí começar o seu ministério com a motivação correta – O Amor, com os meios corretos – as pessoas, e com o método certo – dependente da palavra de DEUS.
a.   Satanás sabia quem era JESUS?
Claro que sim! Ele foi criado por ele no céu, quantas vezes ele teve que se prostrar diante DELE. Porem agora, ele estava na forma humana, e satanás queria que ele usasse seus poderes divinais para mudar o propósito de JESUS, mudando assim o cumprimento da palavra de DEUS, que falava de Jesus, de como ele seria, o que ele faria e de como morreria.
1.   Satanás sabia que como filho de DEUS, ele poderia ordenar que a pedra se transformasse em pão e isso aconteceria. O poder da vida e da morte está na língua. Porém o que Jesus queria não era fazer a sua vontade, nem a vontade do diabo e sim a vontade de DEUS. Por isso ele respondeu usando a palavra de DEUS.
2.   Somente a palavra de DEUS é o verdadeiro alimento não o que o diabo diz. Muitas pessoas se alimentam da palavra do diabo e não da palavra de DEUS.
b.  Jesus sabia quem Ele era!
Jesus não buscou o conhecimento de quem ele era da forma errada, através da filosofia, ele buscou na fonte, a palavra de DEUS. Por muitas vezes ele afirmou que as escrituras falavam dele.
1.   Ele usou a palavra de DEUS, para responder a Satanás.
2.   Ele colocou a vontade DEUS na vida dele, antes de atender os seus desejos.
3.   Ele buscou agradar a DEUS, e não fazer sinais maravilhosos para agradar as pessoas e ao diabo.
2.  Qual palavra sai da boca de DEUS a seu respeito? Você sabe?
Será que após jejuar quarenta dias e quarenta noites se você estiver vivo e satanás aparecer pra você e dizer assim: tenho um canal de televisão pra você, uma hylux, um iate e mais um milhão de reais todos os meses durante toda sua vida, será que você não seria tentado a achar que isso era o propósito de DEUS pra sua vida e resposta de suas orações?
O nosso grande problema é que só queremos ouvir palavras boas, não palavras que precisamos, mas palavras que nos eleve, que nos motive, palavras de efeito psicológico imediato, mas que amanhã ou depois precise repetir a dose mas que nunca produz uma mudança eficaz por que não veio da boca de DEUS.
a.   Palavras de Jesus a nosso respeito.
1.   E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus – Romanos 12:2
2.   Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo – João 16.33.
3.   E não somente isso, mas também gloriemo-nos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a perseverança, 4 e a perseverança a experiência, e a experiência aesperança; 5 e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado – Romanos 5:3-5.
4.   E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito – Romanos 8:28.
5.   Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadouro. 37 Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou – Romanos 8:36-37.
6.   Filhinhos, vós sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo – I João 4:4.
7.   Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz – I Pedro 2:9.
8.   Ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos – Mateus 28:20b
Observe que tem muitas palavras de bênçãos e vitórias, mas sempre antes das vitórias, vem as lutas. Isso acontece para que possamos ser moldados a vontade de DEUS. Sem lutas, sem vitórias, sem razão pra viver, sem desafios a serem conquistados e naturalmente sem fé. E sem fé é impossível agradar a DEUS.
Ronildo da Cruz Ribeiro
IDPB-Monte Horebe
 

Sua palavra cria o milagre que você precisa

Sua palavra cria o milagre que você precisa

Milagre
1.    A bíblia fala claramente que quem controla sua língua, sua palavra, controla todo o seu corpo. Tiago 3:2.
a.   Quem controla sua língua controla seu centro nervoso. E com toda sabedoria controla tudo o que está ao seu redor. Tem pleno domínio da situação. Tem controle de todas as coisas. Tudo por que a palavra liberada cria aquilo que ela falou.
b.    Antes de a pessoa ser mudada ela deve mudar sua linguagem. Quando ela consegue mudar sua linguagem estará pronta pra vencer qualquer desafio. Enquanto não consegue mudar sua linguagem ela é escrava de seus impulsos. Enquanto não mudar sua linguagem, não poderá mudar a si mesma. Ela não tem o domínio.
c.   Eu vejo muitas pessoas que querem a mudança de seus cônjuges, de seus filhos, de seus funcionários, de seus patrões de tudo ao seu redor, mas elas não percebem que são elas que precisam mudar, e essa mudança começa no falar.
2.     O que eu tenho falado? Como eu tenho comunicado?
a.  Quando eu vou falar algo com minha esposa e filhos, geralmente isso nasce no coração / sentimento, em seguida a mente planeja tudo o que vai dizer, e quando eu falo chamo a existência aquilo que brotou de um coração / sentimento, e foi planejado na mente, por isso descarrego tudo o que eles não precisam, se porém eu planejasse diferente, certamente o que sairia de minha boca seria diferente. Controle.
b.   Como eu posso mudar a minha linguagem? Eu tenho que REAPRENDER! Onde eu posso fazer isso? A bíblia sagrada é o melhor lugar pra se REAPRENDER A COMUNICAR e chamar a existência uma cultura de bênçãos. A bíblia é onde você aprender a falar as palavras certas chamando a existência uma vida melhor, mais saudável e plena pra você e pra quem estiver ao seu redor.
“Quando você adquire a linguagem da fé, você começa alimentar seu sistema nervoso com um vocabulário construtivo, progressivo, produtivo e vitorioso.” (Pr. David Yung Cho)
c.  Por isso um crente está sempre cantando, sempre com palavras inspiradoras e nunca derrotistas. Enuncie, fale essas palavras, dê comandos ao sistema nervoso central, para que ele controle todo o seu corpo. Então você será vitorioso, pois estará condicionado a enfrentar qualquer ambiente ou circunstancia e alcançar a vitória. Está é a primeira razão de usarmos a palavra criada. Criar o poder para ter uma vida pessoal de êxito.
d.    A segunda razão é que o Espírito Santo quer que a usemos para realizar o propósito de DEUS na terra, a implantação de seu Reino.
Primeiro – o êxito / vitória pessoal – domínio, controle.
Segundo – a implantação do seu reino.
e.   O Espírito Santo projeta em nosso espírito a sua vontade, interpretamos isso como sonho ou desejo. Porém o medo da decepção ou da vergonha de não dar certo, do que irão falar de mim, abafa esse projeto, mata o sonho e frustra o desejo. Por isso necessitamos voltar a REVER os nossos planos, sonhos e desejos. Colocá-los no plano da fé, da palavra. Retirá-los do plano espiritual e trazê-los a existência. Fazer nascer o desejo nos corações adjacentes (de quem esta perto) de ver o projeto pronto.

3.    Genesis 1:2-3 A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, d  e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas. e 3 Disse Deus: f  Haja luz; g  e houve luz. h
a.  O Espírito pairava, incubava, nutria, fertilizava…, mas nada aconteceu até que DEUS deu o comando – ELE falou: haja luz. DEUS deu o material necessário para vir à existência, Ele deu / falou a palavra.
b.   O Espírito tem incubado, nutrido e fertilizado a sua mente, mas nada vai acontecer se você não der o comando: Haja.
c.    Fale, chame à existência as coisas que o Espírito já incubou em sua mente. Chame a existência à cura divina; Chame a existência o emprego; chame a existência os dons; chame a existência os seus sonhos; chame a existência os recursos para serem paga as dívidas. O Espírito Santo precisa do material adequado para fazer nascer o que ele já incubou – as suas palavras.
d.  Se o Espírito Santo fertilizar a sua mente com fé para remover a montanha, não clame pra DEUS fazer, mas dê o comando: Montanha sai daqui e lança-te ao mar!
———————————————————-
Ronildo da Cruz Ribeiro
IDPB Monte Horebe
Manaus, Amazonas 26 de julho de 2012
Culto de Doutrina

d d 1.2 Havia trevas sobre a face do abismo: Outra tradução possível: Tudo era um mar profundo coberto de escuridão. Segundo uma idéia muito difundida entre os povos do Antigo Oriente, antes da criação só havia um caos de trevas que a tudo cobria, como águas ameaçadoras (cf. Sl 104.6-9). Assim, um dos primeiros atos do Criador consistiu em separar as águas de cima das de baixo, colocando como linha divisória a expansão ou abóbada celeste (v. 7). Conforme os vs. 5-9, desse caos primitivo foram formados os mares, tanto os que estão sobre a superfície da terra como os que estão debaixo dela. Ver Sl 18.15, n. Cf. também Sl 24.2.
e e 1.2 A palavra hebraica traduzida por Espírito pode significar também vento, sopro ou fôlego.Além disso, a expressão de Deus é, às vezes, utilizada no AT como complemento para expressar o superlativo (cf. Gn 23.6; 1Sm 14.15; Jó 1.16). Por isso, alguns intérpretes consideram que a parte final deste v. significa um forte vento ia e vinha por sobre as águas. Ver Gn 13.10, nota c.
f f 1.3 Disse Deus: Esta frase, corroborada pela frase complementar e assim se fez (cf. vs. 7,9,11, etc.), enfatiza o poder criador da palavra de Deus. A ordem divina se cumpre de forma imediata, e o efeito produzido coincide com o pensamento e a vontade do Criador (cf. Sl 33.6-9; 148.5; Is 48.13; 55.10-11; Hb 11.3). g g 1.1-3 Jo 1.1-4. h h 1.3 2Co 4.6.
[1]Sociedade Bíblica do Brasil: Bíblia De Estudo Almeida Revista E Atualizada. Sociedade Bíblica do Brasil, 1999; 2005, S. Gn 1:3
 

A MULHER INVISÍVEL

A MULHER INVISÍVEL
 

Rocha de Gelatina

Rocha de Gelatina
Extraído de “Como Viver com sua Consciência sem Enlouquecer”, por Joel A. Freeman (Editora Candeia, esgotado).
Por Joel A. Freeman: Postado por Revista Impacto em 19 set, 2011 em Matéria de CapaMedo: O Precipício Entre Nós e a Vontade de Deus
 
1.      Gelatina.
Um amigo meu a chama de “pudim nervoso”. No estado líquido, ela pode ser derramada numa forma. Quando se torna firme, está na hora de servir. Se tocarmos no prato ou se a mesa balançar, ela sacode e treme, mantendo porém sua forma original.
Somos todos como a gelatina. De um lado, somos seres frágeis – sempre a um fio de cabelo da insanidade. Enquanto do outro, somos um bando obstinado e rebelde.
Nós nos esforçamos a cada dia para entrar no molde do mundo. A confiança parece transpirar de cada um de nossos poros. Tentamos projetar uma imagem do tipo estou-por-dentro-de-tudo, e sou imbatível.
Nosso mundo interior é outra história. Ele se caracteriza por suposições, insegurança, emoções instáveis. Somos meninos e meninas amedrontados numa sociedade “adulta” e impiedosa, tentando mover-nos pela vida sem receber um número excessivo de golpes psíquicos contra a nossa auto-estima.
Todos nós experimentamos esta dicotomia em vários graus de intensidade. Empenhamo-nos em manter o equilíbrio – e como ele é precário. Um ataque cardíaco, um revés nos negócios ou qualquer outra crise pode mudar nossas prioridades e toda nossa perspectiva de vida instantaneamente.
Somos como a gelatina – tremendo e sacolejando através da existência. Quando confiamos em nosso talento, habilidade, conhecimento ou experiência, estamos procurando encrenca. Qualquer circunstância que atinja 9,3 na escala Richter pode enviar-nos tremendo e sacudindo, para a próxima década, em estado de puros destroços emocionais, escondidos por trás de máscaras de força e segurança. Precisamos de um sistema de apoio que vá além daquilo que podemos tocar, saborear, ver, ouvir ou cheirar.
2.      Nosso Sistema de Apoio
Existe uma chave para o andar bem-sucedido do cristão que freqüentemente é esquecida: O temor do Senhor. Sem ele, passamos pela vida tolerando a autopiedade, a falta de integridade, a tendência para racionalizar e uma consciência perversa. Com ELE, tornamo-nos tesouros especiais para Deus, vivemos com satisfação e evitamos inúmeros problemas.
Antes de continuar, vamos esclarecer algo sobre temer ao Senhor. Não estou falando de um medo que produz tormento e servidão. Esse temor não tem efeito duradouro. Ele pode oferecer um ímpeto momentâneo necessário para que o indivíduo ande corretamente, fale corretamente, vista-se corretamente e cheire corretamente durante algum tempo, mas não consegue reprimir a depravação humana de forma duradoura.
O temor de que falo é algo bem diferente. Considere este exemplo: Tenho medo dos fios elétricos, porém não fico acordado à noite com o pânico de Sexta-feira 13, parte VII, não fico aterrorizado pelo pensamento do terrível potencial da eletricidade para mutilar, matar e destruir. Em lugar disso, sempre que acendo a luz, ligo o rádio ou tomo um banho quente, aproveito o fornecimento da eletricidade que foi transportada para a minha casa através das linhas de força. Tenho grande respeito por elas: não estou nem um pouco interessado em sair agora, colocar uma escada de alumínio contra os fios elétricos, subir e golpeá-los repetidamente com um terçado. Isso jamais!
Você está entendendo? O temor do Senhor é um temor sem tormento; ao mesmo tempo, todavia, é reverente. Confiamos no Senhor e tiramos proveito de sua provisão momento a momento.
Falta, porém, a essa definição um ingrediente essencial. Ela não inclui o poder e a importância que estão por trás do temor do Senhor.
Esta é uma definição mais completa do temor do Senhor: a percepção constante de que estou na presença de um Deus santo, justo e todo-poderoso, e que todo pensamento, palavra e ato está sendo observado e julgado por ele.
Pense um pouco. Se você vivesse a realidade diária de que Deus observa tudo o que faz, pensa e diz, e que algum dia estará diante dele, de que forma isso afetaria o seu estilo de vida atual? Como isso atingiria o conteúdo das suas conversas? Que atitudes seriam corrigidas? E justamente aqui que a teoria será testada.
3.      As Muitas Faces do Medo
Como seres finitos, vamos sacudir e tremer de qualquer modo; portanto, podemos também tremer na presença dele, reconhecendo nossa fragilidade, removendo nossas máscaras e recebendo sua força. Essa é a única maneira razoável de viver!
Existem algumas coisas que podemos fazer para aprender a temer ao Senhor. Uma delas é discernir o propósito das palavras usadas nos idiomas originais para descrever os vários aspectos do medo e descobrir como se aplicam ao temor do Senhor.
4.      Tremor
Um exemplo vívido de tremor no Antigo Testamento ocorreu quando o poderoso rei Belsazar viu uma enorme mão aparecer, acabando com a sua festa e escrevendo palavras ameaçadoras na parede.“Então se mudou o semblante do rei, e os seus pensamentos o turbaram; as juntas dos seus lombos se relaxaram, e os seus joelhos batiam um no outro… ” (Dn 5.6-9).
Outra boa ilustração de tremor é a descrição de como os guardas romanos reagiram ao anjo que afastou a grande pedra da entrada da sepultura de Jesus. “O seu aspecto era como um relâmpago, e a sua veste alva como a neve. E os guardas tremeram espavoridos, e ficaram como se estivessem mortos” (Mt 28.3,4).
5.      Espanto
O hebraico Shâmêm significa “espantar, estupefazer, destruir, entorpecer até um estado de confusão mental”. Quando confrontado por um evento espantoso, o indivíduo estupefato fica incapaz de falar.
Paulo encontrou uma “pequena distração” ao viajar para Damasco, a fim de perseguir os cristãos. Uma luz do céu brilhou repentinamente ao seu redor e ele caiu por terra, ficando como morto. Paulo mal pôde pronunciar as palavras: “Quem és tu, Senhor?” Seus companheiros de viagem ficaram atônitos, enquanto observavam a cena.
O profeta Zacarias disse: “Que todos se calem na presença do Deus Eterno, pois ele vem do seu Santo lugar para morar com o seu povo” (Zc 2.13, BLH).
6.      Pavor
O pavor (pâchad, no original hebraico) é experimentado quando a pessoa tem um sentimento de extrema inquietação enquanto espera que ocorra sofrimento, perda ou qualquer outro tipo de dano pessoal. O pavor mantém o nível de adrenalina alto por um período mais longo do que o susto.
O profeta Isaías foi advertido por Deus no início do seu ministério: “Não fiquem assustados nem tenham medo daquilo de que o povo tem medo. Pelo contrário, fiquem assustados por minha causa e tenham medo de mim, pois eu, o Eterno, o Todo-poderoso, sou santo” (Is 8.12,13, BLH).
Deus e sua demonstração de autoridade causaram tanto pavor em Isaías que ele jamais desejou experimentar o juízo de Deus, provocado pelo pecado pessoal. Todavia, se estamos andando em obediência, nossa perspectiva de vida é otimista e nunca temos de apavorar-nos com o que ele poderia nos fazer. Que liberdade!
7.      Desalento
O termo hebraico châthath descreve a pessoa que fica “desnorteada (mentalmente) pela confusão e pelo medo”. A pessoa desalentada perde a confiança e a coragem a ponto de desmaiar.
Daniel jejuou por um longo período de tempo. Ele não comera comidas gostosas nem penteara o cabelo. No 21 ° dia, ele não passava de um profeta com aparência selvagem andando pelas margens do rio Tigre. De repente, levantou os olhos e viu alguém cujo rosto era tão brilhante quanto um relâmpago. Os homens em sua companhia não viram nada, mas ficaram aterrorizados com o poder que sentiram e fugiram para se esconder. Ao ficar sozinho, Daniel desmaiou. Ele caiu no chão – inconsciente. A seguir, sentiu uma mão forte levantá-lo, colocando-o sobre os joelhos e as mãos.
A epidemia de AIDS. A ameaça de guerra nuclear. O aumento de viciados em drogas e em bebida. O assassinato de milhares de crianças ainda por nascer com a aprovação do governo. Junte isso tudo com a condição aparentemente anêmica da igreja e a hipocrisia manifesta de pregadores conhecidos. Fica então fácil sentir-se envergonhado, abatido e desalentado.
Anime-se. Deus disse a Josué, ao ver suas angústias interiores e preocupações exteriores: “Sê forte e corajoso; não temas” (Js 1.9). Esta mesma promessa atravessa o tempo e o espaço para oferecer uma provisão sob medida para nós no século XXI.
8.      Terror
O terror é a forma mais drástica de medo, anulando as capacidades físicas e mentais da pessoa.
Você pode imaginar como o apóstolo João se sentiu ao ver Jesus glorificado? Cabelos brancos. Olhos como chamas de fogo. Uma espada de dois gumes saindo da boca. Rosto brilhante como o sol. Vestes incandescentes, com a glória irradiando de todos os ângulos. A voz como a de uma cachoeira bramindo. A reação de João? Terror absoluto.
Deus deve usar algum tipo de transformador redutor em suas relações com os seres humanos. Como seres criados, só podemos manusear “alguns Volts” de Deus de cada vez.
9.      Terror ou Temor?
Como o terror se relaciona ao temor do Senhor? Se pudéssemos ver o juízo de Deus sobre o pecado, provocaria terror em nossos corações pensar em nosso envolvimento pessoal com o pecado. Não há dúvidas de que Deus fala sério. Não se pode brincar com ele. E os que zombam dos seus princípios experimentarão o terror do seu julgamento. Isso deve motivar-nos tanto à pureza moral quanto ao evangelismo.
O apóstolo Paulo foi sucinto em sua explicação do que acontecerá diante do trono do juízo de Cristo. Ele afirmou que ninguém vai escapar. A seguir disse: “E assim, conhecendo o temor do Senhor, persuadimos aos homens…” (2 Co 5.1 I).
Existe um inimigo do temor do Senhor. Ele é conhecido por diferentes nomes. Negligência. Apatia.
Como é necessário temor do Senhor em nossos corações! Nossos padrões de moral, retidão e sucesso mudam quando entramos na sua presença e começamos a vê-lo como ele realmente é. E então e só então que podemos ver a nós mesmos como realmente somos e nossa posição no esquema das coisas.
Se a nossa auto-imagem, a nossa consciência ou o nosso conceito de integridade baseiam-se em qualquer outra coisa além de quem Deus é, teremos problemas. Numa base individual, devemos continuar sendo abalados até o fundo do coração com a revelação de que Deus é santo. Não se zomba dele. Seus padrões não podem ser rebaixados. Antes de nos tornarmos espiritualmente amadurecidos, precisamos ser desnudados por ele para ver a nossa total depravação.
As Escrituras transmitem-nos más notícias: somos corruptos, perversos e enganadores. Não ficamos, porém, à mercê da depressão ou da desesperança, porque em seguida ficamos sabendo das boas novas, os “Mas Deus…” da Bíblia.
Se ficássemos apenas com as más notícias, todos teríamos de enfrentar várias opções:
1. Cometer suicídio;
2. Formar novas filosofias (isto é, Deus não existe; portanto, quem se importa? Comamos, bebamos e nos alegremos);
3. Tentar corajosamente viver de acordo com as leis de Deus sem a provisão e o poder divinos. O fator “Mas Deus…” ataca novamente! Suas boas novas nos dão outra oportunidade:
4. Receber a sua misericórdia e viver para ele. Provações, tribulações e desilusão irão mesmo assim confrontar-nos a cada passo: “Mas, Deus…”
Poderíamos dar a isso o nome de “Efeito de chave de catraca”. A chave da catraca precisa ser torcida para trás antes de poder aplicar pressão suficiente para pressionar ou soltar o pino. O que parece ser um movimento na direção errada é, na verdade, um movimento para a frente ao considerar o processo como um todo.
O mesmo acontece com o tratamento que Deus nos dá. Devemos sofrer o impacto do temor de Deus que nos “desfaz” (um movimento aparentemente na direção errada) antes de podermos cumprir o propósito específico para o qual cada um de nós foi comissionado (um movimento definido na direção certa). Isto ocorre a cada novo nível de crescimento.
Extraído de “Como Viver com sua Consciência sem Enlouquecer”, por Joel A. Freeman (Editora Candeia, esgotado).
Por Joel A. Freeman